Aguinaldo diz que PP não fechou apoio ao nome de Lucélio para o governo

O deputado federal Aguinaldo Ribeiro, líder do governo Temer na Câmara, disse que o Partido Progressista, presidido pelo seu pai, Enivaldo, vice-prefeito de Campina Grande, ainda não fechou apoio à pré-candidatura de Lucélio Cartaxo (PV) ao governo do Estado pela oposição. Explica que o partido não foi consultado, embora tenha manifesto interesse em participar da chapa majoritária, diante de nomes representativos de que dispõe. A maior irritação de Aguinaldo, demonstrada em entrevista a emissoras do Sistema Correio de Comunicação, foi com o apoio do PSDB à candidatura de Lucélio, observando que o senador Cássio Cunha Lima lhe havia assegurado que ainda estava definindo reuniões para discussões finais.

– Partido algum tem autoridade para falar em nome da oposição como um todo, pelo menos em nome do Partido Progressista – advertiu Aguinaldo Ribeiro. Ao fazer um histórico dos fatos, Ribeiro lembrou que inicialmente foi posta na mesa a pré-candidatura do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, que desistiu, embora fosse tido como o líder nas pesquisas. Na sequência, foi a vez do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, também desistir, após ter sustentado de forma incisiva a pretensão de assumir a candidatura. O mesmo se deu com o deputado federal Pedro Cunha Lima, igualmente cotado. “Com esses fatos, vamos sentar para elaborar critérios de escolha de outro nome”, sugeriu o deputado Aguinaldo Ribeiro.

A Executiva estadual do PSDB formalizou, ontem, o apoio à pré-candidatura de Lucélio, colocando à disposição das oposições o nome da doutora Micheline Rodrigues, mulher do prefeito Romero Rodrigues, para compor a chapa como candidata a vice. Aguinaldo Ribeiro disse que, agindo como estão, as oposições parecem mais “oposições tabajaras”. Ele acrescenta que o PP não vai a reboque de ninguém, porque tem preocupação e compromisso com o Estado da Paraíba e não com interesses pessoais. O parlamentar se disse farto do que chamou de “lenga-lenga”, que nada definiu até agora . Para ele, o jogo está zerado porque faltou coragem a Luciano e a Romero Rodrigues. “Se não eram candidatos, por que não definiram outro nome lá atrás ao invés de ficar empurrando com a barriga uma definição?”, indagou o deputado, ressaltando que a posição dos dois prefeitos fere a inteligência dos partidos e dos paraibanos.

Nonato Guedes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *