Cássio desabafa: “Na Paraíba, a Justiça tarda. E também falha”

Cássio desabafa: “Na Paraíba, a Justiça tarda. E também falha”

O ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) desabafou, ontem, contra o voto do desembargador José Ricardo Porto, relator da Ação de Investigação Judicial Eleitoral sobre o uso eleitoreiro do programa “Empreender” na campanha de 2014 que, conforme denúncia da coligação encabeçada por Cunha Lima, teria favorecido a candidatura do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), em conjunto com o Ministério Público Eleitoral. Na sessão de anteontem, José Ricardo Porto descartou a ocorrência de irregularidades com fins eleitoreiros no programa “Empreender” e limitou-se a aplicar uma multa de R$ 50 mil ao ex-governador. O julgamento foi suspenso e será retomado na próxima quinta-feira pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Reação textual de Cássio: “Na Paraíba, sobretudo para os apreciadores de vinho, a Justiça Eleitoral não apenas tarda como também falha. Foi uma vergonha o que aconteceu no dia 11 de julho. É nojento”. O ex-parlamentar e ex-governador lembrou que o Tribunal demorou quatro anos e nove meses para pautar o julgamento, quando a Lei das Eleições diz que em ação que pede perda de mandato o prazo é de um ano para a tramitação em todas as instâncias, ou seja, até o Tribunal Superior Eleitoral. Cássio pleiteava, através de advogado, a decretação de inelegibilidade de Ricardo Coutinho por oito anos, bem como que a punição fosse extensiva à vice-governadora eleita Lígia Feliciano (PDT), que foi reconduzida na chapa com João Azevêdo em 2018. José Ricardo Porto ignorou as alegações da defesa de Cunha Lima, que, para ele, foram improcedentes.

Por sua vez, o ex-governador Ricardo Coutinho se recusou a comentar o voto do relator na Aije do “Empreender” pela sua absolvição nas acusações de uso da máquina pública em troca de votos, argumentando “ter muito respeito” pelo TRE. Ainda ontem, Ricardo voltou a falar à imprensa sobre a hipótese de candidatar-se novamente a prefeito de João Pessoa nas eleições do próximo ano. Ele não deu garantias de que possa vir a ser o candidato da legenda do PSB mas acentuou que trabalha internamente para encontrar outros nomes que possam concorrer. De acordo com o ex-governador, “é importante que outros integrantes também participem dos processos eleitorais”.

Nos meios políticos, ganhou destaque nas últimas horas a possibilidade de uma candidatura do deputado federal Gervásio Maia a prefeito, caso Ricardo não entre no páreo. Gervásio tomou posse este ano na Câmara depois de ter cumprido mandatos de deputado estadual, chegando a ser presidente da Assembleia Legislativa. Fontes do agrupamento socialista ressaltaram que a definição de candidaturas por parte do esquema a que Ricardo é vinculado passará por interlocução com aliados que estão em outros partidos.

Nonato Guedes

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *