Doria quer transformar lixo em comida e deixa de ser o queridinho da Direita

Quem nunca comeu mel, quando come se lambuza. O ditado é velho, mas vale para o prefeito de São Paulo João Dória Jr.. Ele surgiu na política com discurso apolítico (“o empresário de sucesso que vai cuidar da sua cidade”), mas foi com muita sede ao pote, tanto em ações administrativas, quanto em atitudes políticas. Desagradou artistas ao criticar exposições de arte, deixa uma interrogação no cidadão comum ao tomar atitudes administrativas polêmicas e desagradou parte da direita, que considera Jair Bolsonaro mais autêntico no contraponto aos ideais da esquerda.

A última de Dória foi o lançamento de programa que quer transformar lixo em comida para pobres. De acordo com a prefeitura, o programa Alimento para todos, “prevê a destinação de todos os tipos de alimentos de boa qualidade e dentro do vencimento para a produção do Alimento, um granulado nutritivo que será entregue às populações que enfrentam carências nutricionais no município”. Ou seja: alimentos com data vencida serão reutilizados pela prefeitura para alimentar pessoas pobres.

Lógico que o prefeito se defende, alegando as boas intenções do programa lançado. Mas de boas intenções o inferno e a política estão cheios. Não por acaso, o prefeito de São Paulo vem sendo cada vez mais comparado a Fernando Collor de Mello, aquele que foi eleito prometendo caçar marajás e ajudar os descamisados e após assumir a presidência confiscou a poupança do pobre, enquanto se falava de rituais de magia negra no Palácio.

Natural, portanto, as reações de alguns internautas ao comentar os atos do prefeito paulista. “Dória vai pagar alguns milhões a uma empresa para produzir uma ração com restos de alimentos para os pobres de São Paulo? É isso? É verdade? Está enterrando sua candidatura de vez. Respeite o povo brasileiro!”, disse uma internauta. “Um prefeito que só trouxe retrocesso, o verdadeiro retrato do facismo escancarado com requintes de crueldade mostrando pra todos que Mídia promoveu um monstro com paletó e gravata pra fazer o pior que o ser pode fazer tratar pobre como lixo”, afirmou outro. Na Paraíba, o professor Éder Dantas também protestou: “Mais uma do circo de horrores em que se transformou o Brasil: João Dória, vai transformar sobra de alimentos coletados em diversos pontos da cidade numa ração para alimentar necessitados e moradores de rua. Falando no bom português: em SP, pobre vai se alimentar de lixo orgânico. Não tenho nem adjetivos para definir isso”.

Em tempo: em recente pesquisa do Datafolha, Doria aparece em queda na aprovação da população à sua gestão. O instituto afirma ainda que ele tem 26% de rejeição e 40% de apreciação regular. Pela primeira vez, a avaliação regular supera a positiva desde que o mandato teve início. Há quatro meses, a pesquisa Datafolha apontava que Doria tinha 41% de ótimo/bom, 22% de ruim/péssimo e 34% de regular.

Linaldo Guedes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *