Governador diz que quer enxugar mais a administração estadual

Governador diz que quer enxugar mais a administração estadual

Em entrevista, ontem, ao “Correio Debate”, da TV Correio, o governador João Azevêdo (PSB) informou que pretende enxugar ainda mais a administração para que possa continuar reduzindo custos e aumentando a eficiência da gestão. Ele se referiu às medidas de fusão de secretarias e a obras que estão em fase de execução e observou que foram injetados na economia paraibana meio bilhão de reais em projetos do governo. Azevêdo garantiu que a primeira parcela do décimo terceiro salário aos servidores públicos será paga antes do São João, em junho.

– Há necessidade de ajustes constantes para tornar a máquina mais eficiente, racional e econômica – explicou João Azevêdo, que está há 136 dias à frente do governo e que sucedeu ao também socialista Ricardo Coutinho, que geriu o Estado por dois mandatos. No início da sua administração, o atual governador fundiu empresas como a Emater, Interpa e Emepa, dando lugar à criação da Empresa Paraibana de Pesquisa e Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer). Também mexeu na estrutura das secretarias de Finanças e Receita para instituir a Secretaria de Estado da Fazenda. A seu ver, o precedente está firmado para alcançar outras áreas da administração pública.

O chefe do Executivo lembrou que mais de 20 Estados brasileiros já adotaram o mecanismo de criação da Secretaria de Fazenda, incumbida do tesouro e da arrecadação. Disse que a expectativa de maior eficiência é ainda maior, na sua avaliação, por ter à frente da estrutura o secretário Marialvo Laureano. Na análise da conjuntura em que a Paraíba está inserida, Azevêdo pontuou que o Estado adquiriu uma condição fiscal que precisa ser mantida sem comprometer o ritmo de obras e de investimentos em melhorias para a população. “Apesar de todas as dificuldades financeiras que outras unidades atravessam no País, a gestão desenvolvida nos últimos oito anos na Paraíba permitiu que o Estado tenha contas equilibradas. Um exemplo disso é que o comprometimento da capacidade de quitação das dívidas está em 37%, o que cria uma grande margem para se buscar os investimentos para pôr em prática projetos estruturantes”.

Na entrevista, o governante destacou a importância do E-gov (governo digital), que terá sua primeira utilização numa reunião com o secretariado ainda este mês. O sistema informatizado, de acordo com ele, vai possibilitar o acesso imediato aos dados da gestão para a análise e a tomada de decisões. Em breve, o Estado da Paraíba deverá abolir o papel nos processos, dentro da perspectiva de modernização que está sendo implementada. O governador afirmou que o Estado se prepara, mediante processo junto a autoridades federais, para contrair mais um empréstimo de US$ 127 milhões que serão investidos em programas de segurança hídrica para beneficiar os paraibanos. A estimativa é de que num prazo de 90 dias esse processo esteja concluído.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *