Maranhão repele boatos sobre desistência: “Só saio do páreo morto”

Maranhão repele boatos sobre desistência: “Só saio do páreo morto”

O senador José Maranhão, candidato do MDB ao governo do Estado, convocou entrevista coletiva, ontem, para desmentir os boatos de que iria desistir do páreo. No primeiro dia oficial da campanha eleitoral, o parlamentar qualificou o boato como a primeira grande “fake News” das eleições deste ano na Paraíba, mas não revelou nomes dos autores da notícia falsa, que ele atribuiu a uma maquinação de políticos adversários. O senador informou que a campanha seguirá normalmente por todos os municípios do Estado.

Para Maranhão, “esses expedientes da imprensa marrom não desmoralizam ninguém mas desmoralizam seus autores”. A história começou anteontem quando insinuações divulgadas em redes sociais davam conta de que o emedebista estaria acometido de uma doença grave. Maranhão informou que goza de perfeita saúde e acrescentou que só sai da campanha morto. “Só se eles me matarem eu deixo de ser candidato”, enfatizou. Acusou os adversários de estarem com medo da livre manifestação do eleitorado, “porque eles sabem que o povo da Paraíba não é um rebanho insensível”.

Ele chamou a atenção para a probabilidade de surgimento de novas informações falsas a respeito da sua candidatura, porém, lembrou que a primeira investida já serviu para deixar o povo paraibano em estado de alerta. “Eles (os adversários) acabaram fazendo com que o paraibano ficasse ainda mais vigilante sobre o que ainda pode acontecer nessa campanha porque os poderosos estão acuados”, ressaltou. Maranhão revelou que antes mesmo de começar a campanha recebeu uma proposta indecorosa, que implicaria em destruir sua imagem. “Depois de já constituída nossa chapa, tentaram me convencer a fazer uma mudança que implicaria na negativa da minha história. Se eu fosse aceitar a proposta, isso significaria o desmonte da história de uma vida inteira”, frisou, mantendo, contudo, mistério sobre os detalhes.

Pela primeira vez, Maranhão direcionou posicionamento contra o atual governador Ricardo Coutinho, que apoia a candidatura de João Azevedo (PSB) ao Executivo paraibano. Falou de desigualdade de condições na campanha que vem encetando e disse que o Palácio da Redenção tenta desautorizar uma candidatura que já está posta. “Não somos uma candidatura que teve resultado de cambalachos dentro de gabinetes oficiais”, acentuou José Maranhão. “Existe uma luta de poderes, principalmente do governo do Estado, que do Palácio da Redenção comanda os correligionários na tentativa de desautorzar uma candidatura cuja origem está no povo. Disseram que eu não seria candidato, depois espalharam que eu não teria nomes para fechar a chapa e agora partem para insinuações no submundo da imprensa. É um jogo sujo, mas a Paraíba nunca se curvou aos poderosos”, detonou José Maranhão.

Da Redação com jornal Correio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *