Poeta critica Cristiane Brasil e diz que cargos de comissão são usados de forma escandalosa

Poeta critica Cristiane Brasil e diz que cargos de comissão são usados de forma escandalosa

As denúncias envolvendo a quase ministra do Trabalho, Cristiane Brasil (PTB), geraram uma leitura no mínimo inusitada do poeta, teatrólogo e jornalista Astier Basílio. Enquanto passa temporada em Moscou, na Rússia, Basílio se mantém atento ao cenário político nacional. Em postagem publicada em sua página no Facebook, ele diz que as denúncias envolvendo a quase ministra nada mais é do que a revelação estrutural e sistêmica de como funciona a engrenagem estatal em função dos partidos, envolvendo principalmente a figura dos cargos comissionados.

Astier Basílio explica didaticamente como a coisa funciona: “o eleito vence. O eleito nomeia os secretários. Os secretários escolhem os auxiliarem. Há toda uma cadeia de empregos que é engrenada na base da indicação política. Nenhum político indica alguém apenas e tão somente pela sua qualidade técnica. Digo aqui no Nordeste, digo aqui na Paraíba, que é de onde sou. Cargos de comissão são usados, de modo escandaloso, como recrutamento de militância – direta ou indireta. Coesão. Assédio. Humilhação. Tudo isso ocorre. Em tempos de campanha, o comissionado é constrangido a trabalhar por quem o indicou. Suas redes sociais são vigiadas. Há ligações convocando para atos. Há determinações para se participar de atos de campanha. E o pior de tudo. Nem isso é garantia da manutenção do emprego. Quando vêm os resultados das urnas, há um novo horizonte de tensão, humilhação e caça às bruxas, com colegas dedurando uns aos outros, com tribunais inquisitivos sobre quem participou mais ou menos da campanha”.

Astier se reporta ao seu próprio caso, e explica: “Eu já trabalhei, como comissionado, praticamente para todas as correntes políticas vigentes da Paraíba. Nenhuma é diferente. Eu falei: NENHUMA! Por esta razão que, desde 2010, ano de minha última experiência com um cargo comissionado ligado ao governo do estado, decidi não mais aceitar ou procurar esse tipo de trabalho. Sobrevivi a viradas de governo. E o governo, qualquer um que seja, tem só um objetivo: a manutenção do projeto de poder de seu atual ocupante. E tudo isso tem um preço. O de submeter quem precisa de trabalho a situações vexatórias e humilhantes”. A postagem de Astier recebeu diversos comentários, alguns de pessoas que passaram por situações semelhantes as relatadas por ele.

Pernambucano de Vitória de Santo Antão, Astier Basílio está radicado há muito tempo em Campina Grande, de onde saiu para um longo período em João Pessoa, onde trabalhou em jornais e órgãos do governo. Lançou diversos livros na área de poesia e contos, tem peças premiadas nacionalmente e atualmente passa temporada na Rússia, de onde deve voltar ainda este ano. Cristiane Brasil é advogada e política brasileira. Filiada ao PTB, é deputada federal licenciada. Foi nomeada Ministra do Trabalho do Brasil no início de 2018, mas teve a sua posse suspensa pela Justiça Federal. É filha do ex-deputado federal Roberto Jefferson, cassado por sua participação no escândalo do Mensalão, do qual foi delator.

Por Linaldo Guedes
e-mail: linaldo.guedes@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *