Presidente do TJ visita Defensoria Pública do Estado, fala de convênios e ouve pleitos da categoria

Presidente do TJ visita Defensoria Pública do Estado, fala de convênios e ouve pleitos da categoria

O presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, esteve, na tarde desta quinta-feira (7), na Defensoria Pública do Estado da Paraíba, para reforçar o fortalecimento da relação entre as instituições, os convênios existentes, bem pleitos da classe.

Márcio Murilo foi recebido pelo defensor público-geral, Ricardo José Costa Souza Barros; a subdefensora pública, Madalena Abrantes; o corregedor José Alípio Bezerra Melo, além dos defensores Coreolano Dias de Sá Filho, Gerardo Rabelo, Glória Oliveira, Diogo Augusto de Souza Andrade, Philippe Figueiredo e Maria Auxiliadora Targino de Araújo.

“O defensor público é aquele irmão do magistrado, que atende, em primeiro lugar, o mais necessitado, o hipossuficiente. Venho aqui, hoje, dar um apoio, conversar com os defensores para saber os planos da instituição, pois tudo funciona na base da harmonia e da parceria”, ressaltou Márcio Murilo.

O presidente também destacou que os convênios existentes estão mantidos e deverão ser ampliados, a exemplo das publicações oficiais da Defensoria pelo Diário da Justiça eletrônico do TJPB; as salas para a Defensoria existente nos Fóruns, entre outros. “Venho demonstrar que o Tribunal está aberto, para que mantenhamos um diálogo rotineiro com o defensor público. É um dever nosso prestigiar um órgão que presta um serviço direto à população”, salientou.

Na ocasião, o defensor público-geral, Ricardo José Costa Souza Barros, afirmou que a visita do presidente do TJPB era inédita, o que envaidecia todos os integrantes do órgão. Disse, também, que, no encontro, foram ajustados alguns sistemas de trabalho entre Defensoria e Judiciário e realizados alguns pleitos.

“Sempre tivemos um bom relacionamento. Desde a gestão passada, o TJPB disponibilizou espaço no Diário da Justiça eletrônico (DJe) para publicação oficial dos nossos atos. Também firmamos convênio por meio do qual passamos a utilizar, em Cabedelo, uma casa pertencente ao Judiciário, e pretendemos estender isso para outras comarcas em que seja possível”, informou o defensor público-geral.

Ricardo José relembrou um requerimento que segue em tramitação no TJPB, para receber a doação de computadores. A medida faz parte de uma política do Tribunal de doação de equipamentos de Informática, que se encontram em bom estado de funcionamento, mas que se tornaram obsoletos para as necessidades do Poder Judiciário estadual.

“Também reforçamos um pedido para que, nas atualizações do Processo Judicial eletrônico (PJe), seja inserido no sistema um espaço independente para o defensor público, que não seja compartilhado com as mesmas intimações ao advogado, pois nossos prazos são diferentes”, explicou Ricardo José.

Por Gabriela Parente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *