PT avalia eleições a prefeito e não descarta nome de Couto

PT avalia eleições a prefeito e não descarta nome de Couto

Embora faça parte da bancada de situação ao lado do PSB, o Partido dos Trabalhadores na Paraíba não conseguiu eleger seu candidato na disputa majoritária do ano passado, o deputado federal Luiz Couto, que postulou o Senado, e já começa a avaliar o cenário para as eleições municipais de 2020, não descartando o próprio lançamento de Couto à sucessão do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, do PV. O presidente da legenda na Paraíba, Jackson Macêdo, afirmou ao “Correio da Paraíba” que no início desta semana foi feita uma reunião com as forças políticas petistas, planejando o seminário de avaliação das eleições para o próximo dia 26 de janeiro, que contará com a participação de um integrante do diretório nacional.

A intenção do PT é criar este ano o Grupo de Trabalho Eleitoral, normalmente instituído no ano da eleição, mas que será abreviado diante da necessidade de reformulação de estratégias e aprofundamento do debate sobre alternativas, inclusive de aliança, para o pleito de 2020, conforme Macêdo. O GTE terá a missão de mapear a situação do PT na Paraíba junto aos diretórios municipais e às comissões provisórias, identificando espaços onde a agremiação possa concorrer às eleições com condições de vitória. “Vamos estabelecer metas de eleição de vereadores, vice-prefeitos e prefeitos”, acentuou Jackson, observando que com o fim das coligações proporcionais os partidos terão que sair sozinhos na disputa.

– A ideia é que esse grupo possa mapear a situação do PT na Paraíba e estimular o lançamento das candidaturas – acrescentou Jackson. Nas últimas eleições municipais, o PT só conseguiu eleger um prefeito, enquanto na disputa anterior foram cinco. O número de vereadores também foi menor: caiu de 120 para 60. Jackson Macêdo afirma: “Aquela eleição foi realizada no meio da crise política que atingiu com força o PT, bombardeado pela imprensa todos os dias. A proposta é, a partir de agora, trabalhar uma base partidária para chegarmos bem em 2020, fazendo oposição ao governo Bolsonaro”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *